Top
Fomos ao Uruguai de Carro! | Carol e Thaís
fade
14628
post-template-default,single,single-post,postid-14628,single-format-standard,eltd-core-1.2.1,flow-ver-1.6.3,,eltd-smooth-page-transitions,ajax,eltd-blog-installed,page-template-blog-standard,eltd-header-standard,eltd-fixed-on-scroll,eltd-default-mobile-header,eltd-sticky-up-mobile-header,eltd-dropdown-default,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Fomos ao Uruguai de Carro!

Fomos ao Uruguai de Carro!

Sim, você leu certo. Nós saímos aqui de Sinop e andamos 3.997 km até o Uruguai de carro!

Nós saímos de Sinop, onde moramos no Mato Grosso e tocamos até São Gabriel D’Oeste, no Mato Grosso do Sul, onde fizemos a nossa primeira parada. A viagem foi super tranquila e o pior trecho para dirigir é mesmo o trecho de Sinop até o Posto Gil devido ao grande tráfego de carretas.

Chegamos em São Grabriel já era noite e decidimos parar em um Hotel bem na saída da cidade. O Hotel era baratinho e não era dos piores – era limpo, pelo menos, mas não gostaria de me hospedar nele novamente.

Seguimos em frente no outro dia logo pela manhã. Tomamos café da manhã e já partimos em direção ao nosso próximo destino: a casa da nossa avó, em Presidente Bernardes. Neste trecho de estrada um lugar bom para fazer uma parada é o Posto Zitão, no rodoanel de Campo Grande e o famosinho Platinão. Porém, como fazemos um desvio não passamos mais pelo Platinão.

Super indico esse desvio se você está indo de Campo Grande em direção ao estado de SP pois é bem mais rápido e sem movimento. Depois que passa o trevo de Três Lagoas você vai ver do lado direito um pasto com um alambrado e do lado esquerdo uma base da concessionaria da rodovia, logo a frente vai ser onde você tem que entrar, você vai estar na BR 163 e vai entrar na MS 040. O lugar onde você pega a estradinha fica bem na curva, entrando na curva, você vai tocar até Santa Rita do Pardo e depois tocar até Bataguassu, em Bataguassu, só tocar em direção à SP. Vou deixar as fotos aqui embaixo caso alguém se interesse.

Chegamos em Presidente Bernardes ainda na parte da tarde, a viagem foi super tranquila e esse desvio que fazemos economiza muito tempo e estresse, já que é mais curto e não tem movimento.

A nossa parada em Presidente Bernardes foi mais longa, ficamos o restante do dia e o outro dia inteiro lá para curtir a nossa família um pouquinho, porém no outro dia já era hora de seguir estrada novamente.

Saímos de Presidente Bernardes antes do dia amanhecer e tocamos na Rodovia Raposo Tavares até o trevo de Taciba, saímos da Raposo Tavares e tocamos em Direção à cidade de Londrina, no Paraná. De Londrina pegamos a PR 445 em direção à BR 376 para Curitiba e de Curitiba pegamos a BR 101 em direção a Porto Alegre. Neste trecho a minha dica de Parada é o Mappy, ele fica bem na saída da estradinha de Londrina PR 445 com a BR 376, a comida e banheiros lá são muito bons.

Passado Curitiba, já na BR 101, paramos na Parada Havan em Barra Velha – SC e tocamos em frente até o Rio Grande do Sul. Depois de Florianópolis, tem uma parada super boa chamada Engenho, o lugar é imenso tem muitas opções e vale a pena os minutinhos parados, depois dele confesso que os postos e restaurantes bons ficam bem escassos, nós paramos em um Posto de Gasolina e restaurante chamado San Tropero, que fica a 23km de Criciúma, que era bem bacana e gostamos também.

Nossa parada para dormir foi na cidade de Torres, no Rio Grande do Sul. Ficamos em uma pousada super bacaninha bem na entrada da cidade. Apesar de Torres ser uma cidade maravilhosa, não conseguimos aproveitar as belezas naturais do lugar pois tínhamos ainda muitos km pela frente.

Saímos cedinho da pousada e fomos tomar café da manhã em um posto da rede SIM na cidade de Três Cachoeiras pois tínhamos uma missão muito importante: conhecer a Luana, nossa seguidora raiz, que viu que íamos passar pela cidade dela e não pensou duas vezes em nos enviar uma mensagem lá no instagram para combinarmos de nos conhecer. Obrigada pelo carinho Luana, foi incrível conhecer você!

Depois do café da manhã em ótima companhia tocamos direto até Jaguarão, que fica na divisa entre Brasil e Uruguai. Desde Curitiba até Porto Alegre, a estrada é ótima e toda duplicada. Porém de Pelotas em diante a estrada é mão simples e começa a ficar bem chatinha devido ao movimento.

Chegamos em Jaguarão por volta das 15h e nos hospedamos no Hotel Sinuelo que já é velhinho mas é muito limpo, confortável e tem garagem fechada.

Restaurante Barranco – Rio Branco/Uruguai

Depois de nos hospedarmos, já atravessamos para Rio Branco para almoçarmos. O escolhido foi o restaurante Barranco (em frente a loja da Neutral) que é excelente e tem um ótimo atendimento. Almoçamos, fizemos algumas compras e voltamos ao nosso Hotel em Jaguarão. Aproveitamos que lá o dia é bem longo nessa época do ano (fevereiro) e saímos dar uma voltinha a pé pelo centrinho da cidade para conhecermos melhor.

Eis que chega o dia de cruzarmos a fronteira e rodar por estradas Uruguaias pela primeira vez! Acordamos super animados, tomamos café da manhã e saímos do hotel em Jaguarão por volta das 8:30 da manhã.

Atravessamos a ponte que divide os dois países e logo na saída de Rio Branco já avistamos o posto da Alfândega Uruguaia. Paramos o carro, descemos, e fomos dar entrada no país com os nossos passaportes e a carta verde em mãos, burocracias finalizadas voltamos para o carro e aí sim fomos cruzar o posto policial. Ao cruzar, o fiscal nos parou e pediu para ver o que tinha na caçamba da nossa camionete, ele deu uma olhada, fez algumas perguntas pro meu pai e nos liberou.

As estradas Uruguaias são excelentes e nesta rota (Ruta 8), totalmente tranquilas. Curiosamente, a faixa da pista de rolamento é branca e não amarela como é no Brasil, então fique esperto e não se confunda, não é pista dupla, não. Durante todo o caminho o meu celular funcionou pegando 4G/3G perfeitamente (minha operadora é a VIVO) o que me deixou muito impressionada pois cruzamos o país de um extremo a outro, basicamente.

Foi por volta do horário do almoço que chegamos em uma cidade chamada Minas, e só dali pra frente é que a estrada ficou menos deserta e começou a aparecer mais carros rodando. Abastecemos o carro com o combustível mais caro da vida (por volta de R$:7,50 o litro de Diesel S10) e seguimos em direção à Montevidéu.

Nós estávamos muito apreensivos pois iríamos rodar em outro país, porém a viagem foi super tranquila e não tivemos problema algum e nem fomos parados pela polícia.

Na volta, o nosso percurso foi diferente, saímos do Uruguai por Chuí e aí sim, nesta rota (Ruta 9) o percurso foi bem movimentado.

Quanto aos Free Shops, vocês devem estar se perguntado qual cidade será melhor, pelo que percebi fazendo as minhas compras em ambas as cidades, em Chuí você tem muito mais opções e lojas porém em Jaguarão os preço são infinitamente melhores.

Bom, acho que já escrevi demais… mas espero que vocês tenham gostado!

Qualquer dúvida, é só deixar aqui nos comentários que vamos ficar felizes em ajudar.

Até mais!

Thaís

Post a Comment